Pode-se criticar ou não gostar da atuação da maioria dos vereadores, mas não se pode deixar de reconhecer a importância de que, as Sessões da Câmara, são o melhor retrato de exposição dos principais problemas sociais do Município.

Afinal, as posições dos vereadores se alteram conforme alguns interesses, conveniências ou pela pressão social, sendo que todas essas alternâncias ou contradições de posições, há algum tempo, podem ser acompanhadas ou ouvidas, até mesmo sem sair de casa, através das emissoras de rádio ou outros meios de mídia que as transmitem.

Exemplo da diversidade de informações, contradições e discussões dos problemas sociais, ocorreu na Sessão desta segunda-feira, dia 18/11/19, tais como:

Problemas com o abastecimento ou falta de água

Enquanto alguns vereadores cobraram, há meses, pelo descaso que existe em várias comunidades no abastecimento, como o da Vila Rural de Sub Sede, IBC, São Brás, cuja parte de moradores, estão a semanas sem ter acesso regular de água. Outros tentam justificar, contraditoriamente, aprovação de lei discriminatória que abastecem piscinas, floriculturas, lavadores de carro de particulares, enquanto algumas famílias não tem água para fazer comida, tomar banho ou fazer limpeza ou até mesmo dar de beber aos seus animais.

Falta de iluminação pública x iluminação de natal

Enquanto alguns vereadores cobram a falta de iluminação pública de várias ruas, bairros e, até da Avenida Brasil que, há mais de uma semana está praticamente sem iluminação, outros defendem os abusivos gastos com a decoração natalina que, com os shows de artistas, fogos e outras locações, deve chegar próximo cifra de um milhão, havendo, inclusive, cobranças de iluminação e conserto nas ciclovias.

Problemas dos alagamentos e ruas sem boca de lobo para escoamento

Enquanto alguns vereadores cobram há anos a soluções dos alagamentos de bairros, ruas e, inclusive concertos de buracos no asfalto, como há mais de duas semanas pode ser constatado na Av. Brasil, bem em frente ao Departamento de Abastecimento da Prefeitura, outros estão preocupados em cobrar do governo do Estado, as reparações das rodovias Estaduais do DER que dão acesso a Santa Helena e que também há anos estão na promessa de recuperação.

Críticas e defesas dos projetos de moradias “verticais” ou casas populares

Enquanto alguns vereadores criticaram e lamentaram que apenas nas vésperas das eleições foi encaminha projeto de construção de moradias populares e que apenas atende classes de renda mais alta, pois trata-se de um projeto de construção de moradias “verticais”, ou seja, conjunto de blocos de apartamento, outros defendem a iniciativa, argumentando que o prefeito enviará outro projeto de construção de mais 200 casas populares num terreno perto do CICA, cuja infraestrutura seria fornecida pela Itaipu. Todavia qualquer projeto de habitação demora no mínimo dois anos entre a elaboração da lei, compra terrenos, licitações, construção da infraestrutura, construção das casa, cadastramento da famílias e distribuição ou ocupação. Assim, como em outras administrações, os projetos lançados na véspera de mais uma eleição, tem como principal objetivo manter cadastradas centenas de famílias para fins de manipulação política.

Abandonos e retomadas de construções

Enquanto alguns vereadores denunciam reformas desnecessárias, abandono ou atraso de construções públicas, como é o caso do Unidade de da Unidade de Saúde e Praça de Sub Sede, cujas árvores foram cortadas, ou o caso da construção do SEMEI de Vila Celeste que, desde a Administração de uma ex-prefeita foi abandonada, outros estão investigando o possível desvio de recursos destinados para compras de materiais a centros comunitários.

Incentivos a micro e pequenas empresas

Enquanto alguns vereadores cobram os mesmos incentivos que são dados a grandes empresas ou os agricultores para as micro e pequenas empresas, outros defendem o prefeito, argumentando que não é possível tais incentivos, tendo em vista as restrições da Lei de Responsabilidade Fiscal, como se a lei fosse apenas aplicadas para os incentivos  as micro e pequenas empresas, quando sabemos quem em tempo recorde foi destinado quase 3 milhões de reais a um grande conglomerado e, as micro e pequenas empresas, sequer tem recursos para fazerem os projetos exigidos pelos bombeiros, adotando assim, dois pesos e duas medidas. Aliás os mesmos vereadores que aprovam em regime de urgência aos grandes incentivos, também aprovaram a lei do abastecimento quase de graça de piscinas particulares, floriculturas e lavadores de carros, sendo que essa sim tem parecer jurídico favorável…

Justificativas para pagamento de milhões em Licença Prêmio, horas extras, Indenização de Rescisão, Diárias e benefícios

Enquanto alguns vereadores encontram justificativas para a defesa do prefeito em milionários gastos com pessoal, outros destacam, com indignação a disparidade de benefícios concedidos ao funcionalismo, especialmente aos comissionados da prefeitura, sendo que os próprios vereadores situacionistas manifestaram preocupação com os valores, destacando que mais de 2, 5 milhões foram pagos em indenizações por licenças prêmios, mais de 2 milhões em horas extras, mais de 1,5 milhões em indenizações de rescisões, sendo que algumas indenizações ultrapassaram a casa dos 90 mil reais, situação que afronta e avilta a dignidade dos humildes trabalhadores da iniciativa privada e terceirizados que não chegam a ganhar líquido, 1 mil reais.

Lágrimas dos ignorados e discriminados

Alguns vereadores comentaram a situação de que alguns pais e mães de famílias vão até a Câmara e chegam a chorar, alegando que estão sendo ignorados ou discriminados, como foram citados o exemplo de dois senhores, um que há muito  não vem recebendo a conservação de estradas ou outro que tem um filho em estado vegetativo e solicitou ajuda de um simples botijão de gás e foi negado, sendo que no último dia 14, foi assinado um contrato de R$ 174.190,00, somente com uma empresa, exatamente, para compra de gás.

Festival da licitações e laranjal

Há muito que também, alguns vereadores, tem criticado os inúmeros e milionários contratos públicos, celebrados sempre com as mesmas empresas, situação que se estende a um verdadeiro “laranjal” de filiais, concorrentes entre si, sendo que algumas pessoas físicas, possuem quase meia dúzia de empresas em seu nome e mais meia dúzia que atuam por representação ou procuração. Mas enquanto uns vereadores levantam os problemas, outros defendem a situação ou simplesmente silenciam, fazendo de conta que o problema não se refere a eles ou seus amigos.

Situação inimaginável

Assim, quem se dispõe a ouvir os vereadores nas seções de segunda-feira, terá a oportunidade de contrapor as contradições e interesses de cada manifestação, algumas inconfessáveis, mas que estão nas entrelinhas dos pronunciamentos da tribuna. Todavia as Seções com os pronunciamentos antagônicos de cada vereador, apenas destacam  ou evidenciam os inúmeros problemas sociais e a contradição de uma Município que, apesar de ter uma das maiores  arrecadações públicas por habitante do Brasil, tem uma das piores distribuições, não só de renda, mas da qualidade da educação, saúde, habitação, e média de emprego e renda, sendo que, quase a maioria absoluta da população, depende diretamente ou indiretamente da estrutura da Prefeitura, que nesta gestão deve arrecadar, em valores atualizados, cerca de 800 milhões de reais, valores que se fossem distribuídos diretamente, cada uma de aproximadamente 8 mil famílias residentes no Município, receberiam uma média de 100 mil reais, ou cerca de 2 mil mensais.  Situação inimaginável para a maioria absoluta das famílias.

Deixe uma resposta