O segundo maior orçamento do Município é da Secretaria da Saúde. Segundo o balanço, até junho de 2019, foram gastos 12,7 milhões.

Todavia, analisando os gastos, verifica-se que a grande maioria se destinam ao pagamento de pessoal, transportes, serviços de terceirizados e, especialmente, reformas como a que está ocorrendo no Posto de Sub Sede por problemas estruturais, cujo custo, conforme confirma a imagem da placa, é de R$ 443.871,18, praticamente o mesmo valor da reforma do Posto de Saúde de São Roque, R$ 406.232,85.

A queixa principal da população, é quanto aos serviços efetivos de saúde oferecidos ou prestados ao cidadão, especialmente, quanto ao fornecimento de medicamentos, mesmo que básicos.

É o que reclama um morador de São Clemente que, após consulta, recebeu a receita de um Diciofenaco, ainda em 1º de agosto de 2019, mas apesar da idas e vindas a Unidade Básica de Saúde-UBS do Distrito, até hoje, passado, mais de um mês, o medicamento ainda estaria em falta.

Deixe uma resposta