Pelas condições financeiras e orçamentárias do Município de Santa Helena, bem como pela propaganda oficial, esperava-se que o setor de saúde do Município que possui dezenas de Postos ou Prontos Atendimentos em cada Distrito e Bairros, estivessem mais preparados para atender o público.

Mas o que se observa pela mídia social, inúmeros cidadãos santa-helenenses ao procurarem os Postos de Atendimento, percebem que a realidade é bem outra, especialmente no atendimento da epidemia de dengue que assola o Município com milhares de casos notificados e centenas de contaminados, cujos números são bem maiores que os divulgados oficialmente.

As queixas sobre o atendimento dos “profissionais” quando o cidadão procura os Postos, praticamente é de desânimo geral, pois além da demora, da falta de atenção, não existe disponibilidade de “testes” rápidos e para todos, sendo comum a frase “não temo o que fazer” ou “o que quer que eu faça”.

A situação fica mais grave, quase que apavorante, quando se pensa no agravamento do pandemia do coronavirus: codiv-19 que se aproxima de forma incontrolável e, a exemplo da maioria das cidades, a estrutura de saúde do Município, não tem qualquer condição ou equipamentos médicos, leitos próprias com respiradores para atender os casos mais graves.

Como se tudo isso não bastasse, já começa a faltar produtos básicos de prevenção como álcool gel, máscaras, sem falar no aumento abusivo do preços de tais produtos, bem como a dificuldade em fazer os testes, inclusive no laboratórios particulares.

Diante disso, sobra a indignação e as manifestações dos cidadãos nas redes sociais como se pode ver pelas postagens no Facebook de uma santahelenense, que repercutiu sua experiência ao ser atendida no Posto de Atendimento do Município.

Deixe uma resposta