Na data desta quinta-feira, 03 de outubro, a redação do Folha de Santa Helena foi procurada pelo caminhoneiro Gelson Munarine, que há vários anos faz a travessia, via Porto Internacional de Santa Helena, no intuito de verificarmos as condições das instalações e arredores do porto.

No local constatamos que a situação do mesmo é precária, os arredores das áreas dos estacionamentos, permanecem com muita terra, o que em dias quentes e ventosos trazem com sigo muita poeira e, em dias chuvosos, lama e barro, dificultando a acomodação dos caminhoneiros que ali aguardam o despacho da carga pela Receita Federal.

A precariedade, também se reflete no local que se encontra uma sala, que supostamente seriam para descanso coletivo dos caminhoneiros, existe apenas uma televisão e um ar-condicionado que não muito funciona, nada de cadeiras, bancos ou outros meios que possam fornecer o mínimo de conforto para quem passa várias horas de aguardo. Inclusive há reclamação dos banheiros, que não são em quantidade suficiente para a demanda.

A promessa de revitalização do porto é antiga e os caminhoneiros cobram que seja o mais breve possível executada, visto hoje a demanda portuária está se elevando a cada ano. Na data desta matéria como pudemos constatar eram dezenas de carretas e caminhões aguardando a liberação de suas cargas, a maioria transportadores de milho, trigo.

Afinal, ninguém consegue entender os gastos da atual gestão com mais de 25 milhões de lama asfáltica e pedra irregulares, bem como com a contratação de mais de 25 mil horas máquinas nos últimos meses, enquanto que o Porto, um dos setores que mais poderia gerar renda para o Município, ainda não tenha sido visto como prioridade.

Aliás, continua também na promessa a Rodovia Perimetral do Porto, cujo pré-projeto previa um trevo junto ao Parque Industrial Cirilo Caumo que, se tivesse sido executada, desviaria todo trajeto do caminhões da Rua José Biesdorf, evitando assim o desperdício dos inúmeros outros projetos de alargamento dessa rua que é inviável, além, é claro, do problema do “poeirão” dos caminhões que vem do Paraguai continuar.

Mas, infelizmente, o planejamento estratégico, por parte dos administradores públicos, continua uma miragem! empoeirados pelo centro, a qual estava projetada para sair ao lado do parque industrial Ciro Caumo, foi esquecida.

Desta forma todos solicitam apelo ao administrativo municipal de Santa Helena para que efetivem melhorias no local.

Deixe uma resposta